A individualidade dos movimentos e a biomecânica de cada atleta é uma espécie de impressão digital da corrida. Cada um de nós tem uma postura e um estilo próprio que colocamos no nosso tipo de passada e nos nossos movimentos quando estamos a correr. No entanto devemos ter sempre em mente que para correr bem não é preciso fazer força. Os movimentos não devem ser contraídos.

Ainda que a corrida ideal tenha que ser algo natural e harmonioso, existem os erros mais comuns cometidos pelos corredores. Uns são causados por vícios de movimentos, outros por desvios posturais, mas para todos eles existe solução. Seja por meio de exercícios educativos, estímulo da consciência corporal ou mesmo musculação, é possível melhorar. Muitos corredores ignoram a importância do trabalho de força para melhorar na corrida. A questão da postura correta é um dos principais motivos para que os exercícios de musculação sejam feitos. O fortalecimento do abdómen para melhorar a posição do tronco é algo que de certeza já ouviste falar, mas que maior parte das vezes não é aplicado nos planos de treino. Temos que ter em conta que, músculos mais resistentes evitam lesões e protegem o atleta. O corredor que não faz musculação tem uma vida mais curta na corrida.

Erros mais comuns na corrida e como evita-los

COLOCAR MUITA FORÇA NA MÃO
Correr com a mão tencionada, ou seja, fechada com muita força, não é recomendado. Isso faz com que gastes energia desnecessariamente.
O correto é manter a mão relaxada, nem muito fechada nem aberta. Para saber a medida, imagina que estas a segurar uma garrafa de modo que o dedo pulgar fique como se estivesse tampando o gargalo.

ROTAÇÃO LATERAL DO TRONCO
É quando o atleta balança o tronco de um lado para o outro, com o movimento que se assemelha a um lutador de boxe. Esse movimento é prejudicial ao rendimento, pois o deslocamento na corrida deve ser para frente e não para os lados. Além disso, a quantidade elevada de repetições deste movimento predispõe a lesões no quadril. Para corrigir esse erro pensa que está a correr entre duas paredes estreitas e que tens um fio a puxar-te para cima. Imagina a manteres os ombros e tronco imóveis.

CORRER SEM MOVIMENTAR OS BRAÇOS
Os braços devem formar um pêndulo ao lado do corpo. Quando esses membros não se mexem de maneira harmoniosa, não há um aproveitamento adequado do movimento. Os braços auxiliam no equilíbrio e até na impulsão da corrida. Pensa nos braços como uma “terceira perna”.
Como solução para este problema, fica na frente do espelho e faz o movimento da corrida, como se estivesses correndo parado. Os braços devem ficar paralelos ao corpo como se duas linhas puxassem um de cada vez para frente e para trás. Isso melhora a consciência corporal e ajuda-te a executar correctamente o movimento. 

ALINHAMENTO DO TRONCO
A posição correta do tronco durante a corrida é ligeiramente inclinado para frente e não totalmente erecto. Aqueles que correm com o tronco erecto, ou até um pouco para trás, vão contra a mecânica natural do corpo e fazem muito mais esforço.
O corredor deve ficar atento à sua postura e se projectar um pouco para frente, mas com a coluna recta. Muitos, na tentativa de corrigir essa posição, acabam por incidir em outro erro explicado a seguir.

OMBROS PROJETADOS À FRENTE
Em vez de inclinar todo o tronco para frente com a coluna alinhada, alguns atletas projectam apenas os ombros, fechando o tórax. Na intenção de corrigir a postura, esse atleta comete outro erro. Essa postura atrapalha o corredor por deixar a região do tórax mais fechada. O resultado disso é que, além de criar tensões desnecessárias na região do trapézio, o peitoral mais fechado dificulta a captação de oxigénio.
O problema postural pode ser solucionado com exercícios musculação para levantar os ombros. Aqueles com casos mais acentuados podem recorrer a exercícios de Pilates.

Deixamos-te um pequeno vídeo para te ajudar na tua corrida. Acima de tudo tenta lembrar-te destas dicas, não só na teoria, mas acima de tudo quando fores treinar.

Bons treinos.